Caças senha de anos anteriores

Inspirado na brincadeira de caça tesouro feita pelo MIT (http://www.mit.edu/~puzzle/), há alguns anos o CAEP adota a cada semestre uma brincadeira de caça senha que permite o acesso dos alunos a materiais protegidos deste site. Como as dicas estão atreladas a orientações sobre as regras do centro, é uma maneira dos alunos se familiarizarem com o funcionamento do CAEP.

Aqui estão compilados alguns dos caça senha anteriores, para que os alunos entrem em contato com o tipo de desafio proposto.

2013 (circa) –

O primeiro caça senha adotado não era específico da área de psicologia e consistia somente nos primeiros 10 números da sequência de Fibonacci, que na reunião foi apresentada fazendo referência à sua importância nas artes e na matemática.

1/2016 –

A senha deste semestre era o nome do meio do(a) pesquisador(a) que foi dono(a) da ave mais famosa em pesquisa de comunicação, linguagem e cognição animal.

A primeira dica, apresentada na reunião trazia a imagem de 3 animais alados: um pássaro do paraíso, um papagaio e um pombo. A ave em questão era uma destas três. No caso, o papagaio.

A segunda e a terceira dicas podiam ser encontradas na secretaria e faziam alusão ao nome do pássaro e ao primeiro nome da pesquisadora em questão.

Para o nome do pássaro a dica fazia referência à Alexandre o Grande, indicando que seria um possível apelido.

Para o primeiro nome da pesquisadora a dica era se tratar da deusa da paz na mitologia grega, ou seja: Irene.

Leia aqui porque o treino de Alex, o papagaio, foi tão revolucionário:  http://www.newyorker.com/magazine/2008/05/12/birdbrain

O nome completo da pesquisadora era Irene Maxine Pepperberg e portanto a senha deste semestre foi Maxine.

2/2016

Este foi o caça senha mais difícil até o momento e exigia do aluno que se deslocasse dentro da estrutura do prédio do CAEP para conhecer os espaços e responder a três charadas concatenadas. A primeira charada, repassada na reunião de orientação, era a seguinte:

Imagem1

 

Na primeira linha as fotos pertencem a Piaget, Erikson, Rorschach, Damasio, Allport. Portanto o livro chamava-se PERDA. Na segunda linha Binet, Osgood, Wundt, Levin, Bandura, Yalom. Portanto o autor era Bowlby.

A página do livro em questão era a de número 42, fazendo referência à frase célebre do Guia do Mochileiro das Galáxias. Na página 42 do livro o aluno encontrava a seguinte dica: “Se você procura um animal, o teórico dos sonhos diria que Lanzer é o homem certo para esta tarefa. Procure este animal. Ele comeu a última dica”.

Homem dos ratos foi o pseudônimo dado por Freud para o caso de seu paciente Ernst Lanzer, portanto na sala de leitura o aluno deveria procurar por um rato.

Um rato azul de origami foi colocado atrás dos livros do Freud e trazia na barriga a última charada: “Ele não é uma bruxa má da Disney, mas adora uma torre. De acordo com Duane S. e Sydney S. seu laboratório tinha vidros grossos, portas de aço e uma profunda vala de palha cercando a edificação. Ele adora silêncio. A senha é o nome do meio dele, com todas as letras em caixa baixa. Se você chegou até aqui, saiba que a wikipedia vai saber o nome do meio, desde que você já saiba o primeiro e o último”.

Tratava-se do laboratório de Ivan Petrovich Pavlov, como descrito no livro de Schultz & Schultz, que tinha sido colocado do lado do livro Perda, anterior. A senha deste semestre portanto foi petrovich.

Pelo grau de dificuldade este caça senha trazia ainda duas dicas extras. Na secretaria a dica extra referente à primeira charada. “Os três primeiros: francês inteligente, diferencial semântico, a psicologia é moderna por causa de você”.

Na sala dos técnicos a dica extra 2, referente à última charada. “São meus amigos: Jack, Pastrel, Diana, Valiet e Ruslan, entre outros”.

01/2017

O caça senha deste semestre iniciava com uma pequena contextualização, como segue:

No campo de estudos que pode ser chamado de botanomórfico são estudadas metáforas de frutas e verduras que descrevem características humanas. No estudo simbólico de totems percebemos que ao consumir um animal há a crença de que a pessoa adquire as características deste. Já ao consumir plantas uma potencialidade humana é ativada. Por exemplo, o Popeye fica forte ao comer espinafre, mas o espinafre em si não é uma planta especialmente forte.

A charada deste semestre fez alusão a este campo de estudo. No ano em que a constituição atual do Brasil foi promulgada, um pesquisador de língua inglesa analisou características da personalidade aparente de frutas. A senha do semestre foi a resposta para a seguinte pergunta:

De acordo com este pesquisador, um milho é ____________________  (característica humana aparente).

A senha é em português e em letras minúsculas. Utilize se necessário o tradutor do google para obter a versão em português da resposta.

Foram disponibilizadas algumas dicas:

1 – a pesquisa original foi feita por um pesquisador cujo nome é uma corruptela da palavra “verão” em outra língua. Esta dica fazia alusão ao Sommer.

2- um ‘Sábio Homem’ inglês que estuda ‘coisas esquisitas’ sabe a fonte original do artigo. Esta dica fazia alusão ao pesquisador “Wiseman”, autor de esquisitologia. Utilizando qualquer uma destas palavras chaves no google o artigo de 1988 era possível de ser acessado.

Se você passou por aqui porque está tentando descobrir a senha deste semestre, persista, você vai conseguir.

Coragem! E boa sorte 🙂

Anúncios